sexta-feira, junho 17, 2005

Sabidinhas

Entrar na frutaria no momento em que a conversa vai no “Isto já nem com um Salazar lá ia!” não é muito bom começo para uma manhã de Sexta-feira. Tinha acabado de perder os comentários aos pretos e outras raças causadoras de distúrbios (por causa do arrastão da praia de Carcavelos). Naquele instante criticava-se a três vozes uma política de imigração frouxa “Isto vem para cá tudo, para Espanha é que não vão eles”, dizia a fruteira A, “Está tudo a vir de lá para cá que aqui podem fazer o que lhes apetece”, reforçava a fruteira B. Eu mantive-me (a muito custo) calado, e o tema passou logo a seguir para as brasileiras.
O tema das brasileiras espicaçou ainda mais o mulherio (já aqui escrevi sobre a comunidade lá no bairro). Até parecia que estava em Bragança, num tom entre a reprovação e a inveja. Mas a ignorância e a pobreza de espírito também têm pitoresco. A fruteira B afirmava convicta que “Em cada 100 que vêm só uma é que não é!” (puta, subentenda-se). A cliente velhota desabafava “Sabidinhas!”. E repetiam. A fruteira A quebrou a monotonia acrescentando que bem as via, que só compravam frutas que não engordassem “para não afastarem os meninos”, e que esta semana já havia mais duas (brasileiras putas) lá no bairro. E a velhota lá libertava mais um “Sabidinhas!”. A fruteira C, brasileira recém-chegada, não estava (era a uma em cem, suspeito). E olharam para mim em busca de comentários. Mas a minha intervenção já não teve piada suficiente para ser reproduzida.

4 Comments:

Blogger Anátema Device said...

Se elas soubessem o que diz das fruteiras. ;)

9:33 da tarde  
Blogger Anátema Device said...

correcção: Se elas soubessem o que se diz das fruteiras. ;)

7:48 da tarde  
Blogger Khibli said...

epá! Escrevam qualquer coisa!! Quatro bloggista e o blog assim. Paradíssimo!! Qualquer coisa, vá. "Desintediem-me"!

7:04 da tarde  
Blogger mfc said...

Olha para estas cerejinhas... das fruteiras!
É dessas que eu gosto!

8:16 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home