sexta-feira, junho 24, 2005

Saúde (?) cubana

Em Cuba, aquele que é tido pelos cubanos como um dos melhores sistemas de saúde do mundo é, como em Portugal e em outros países da Europa, gratuito. Este facto é geralmente desconhecido pelos cubanos.

O Miguel Pinto relata:

"As condições das instalações [dos Hospitais] são deploráveis. A maioria dos medicamentos não existe (a não ser para quem pode pagá-los no mercado negro). Fazer uma operação com anestesia é um risco enorme, há quem se recuse. Por falta de recursos nem todos acedem às cirurgias: têm prioridade os pinchones [detentores de altos cargos no governo e no PCC] e quem tem dólares para “sensibilizar” os médicos para a sua situação. Seringas e garrafas de soro são de vidro, reutilizáveis. O pessoal clínico leva as batas para casa para lavar, pelo que são facilmente identificáveis na rua: as bactérias, os vírus, as infecções e a porcaria em geral agradecem. Não há sequer lençóis nos hospitais, há que os levar de casa."

Isso não impede que jogadores de futebol (como o Maradona) tratem as suas dependências nos últimos dois pisos deste hospital (tido como uma das melhores clínicas do mundo) só acessível a estrangeiros endinheirados...


Hospital Hermanos Ameijeiras - La Habana (Junho de 2005)

3 Comments:

Blogger Delfim said...

A saúde do próprio regime já não é a melhor. E já nem com uma cirurgia lá vai...

12:14 da tarde  
Blogger Ana Duque said...

Pois... subscrevo. E não há mais nada a acrescentar a este post completíssimo sobre como anda de saúde Cuba. A não ser um aspirina para acabar com a dor de cabeça que aquilo deve dar.

7:16 da tarde  
Anonymous manuel vaz said...

o miguel pinto nao entende nada de nada em portugal os medicos tamben levam para casa as batas que utilizam nas consultas o mesmo se pasa em cuba. tambem nao conheco mercado negro de medicamentos em cuba pode exclarecer-me onde posso comprar medicamentos que sao escassos fora los locais para ese efeito?

7:09 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home