segunda-feira, agosto 14, 2006

Fidel

Diz-se em Cuba, quando nada mais acontece, que as boas notícias são que o Comandante está mais velho um dia.

Cuba é uma nação miserável, fruto da obstinação deste (doutros também?) homem.

Osso duro de roer que não cai nem quer cair - dos poucos homens cujo nome não precisa de ser pronunciado para se saber de quem se fala. E se cair, parece que o benjamim já lá está a segurar as rédeas da miséria.

Não sei se Cuba conseguirá melhorar o que quer que seja sem a agonizante paragem no tempo a que foi sujeita, mas se ao menos as pessoas poderem um dia ser livres para estarem sozinhas, para fazerem o que quiserem, para serem miseráveis da forma que melhor entenderem acho que será uma vitória para os cubanos.

Sem que Fidel se vá, não me parece ser possível. Sem Fidel lá, a ver vamos. E bem, na pior das hipóteses, no infinito estaremos todos mortos...

2 Comments:

Anonymous Virgílio Ribeiro said...

Sobre Cuba, estamos mais ou menos elucidados, +/-! Agora sobre os cubanos, ainda nos falta perceber, como é que têm conseguido sobreviver, sim, porque a matá-los como Saramago quer, vamos ver o está a seguir a: ... (dá para entender?)

7:19 da tarde  
Blogger Delfim said...

'Après moi, le déluge'?

Acho muito difícil que após a morte de Fidel não haja uma convulsão forte. Não me parece que exista outro que o consiga segurar aquele regime. E creio inivitável o choque entre os cubanos pobres de Cuba que aguentaram estes anos todos a ditadura militar e os cubanos ricos de Miami que quererão voltar.

Espero que o choque seja ultrapassado rápido (ou que eu esteja enganado) porque os cubanos merecem um futuro próspero.

De qq modo, há anos que se fala da morte de Fidel e a verdade é que cada dia que passa Fidel vai ficando um dia mais velho. Os seus adversários vão passando e Fidel apenas ficando um dia mais velho...

11:14 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home